PT minimiza vermelho e ‘abraça’ verde e amarelo em lançamento de Lula

Lula discursa em lançamento de sua chapa com Alckmin, com bandeira do Brasil ao fundo / Foto: ANDRÉ RIBEIRO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A cor vermelha ficou em segundo plano no lançamento da pré-candidatura do ex-presidente Lula (PT), neste sábado (07), e apareceu apenas nos detalhes do evento ocorrido em São Paulo. Dessa vez, predominaram as cores mais claras, como o azul, o verde, o amarelo e o branco.

Aquele vermelho vibrante, marca de campanhas passadas do PT, assim como a simbólica estrela do partido, apareceu de relance e nos detalhes. Sem muito orgulho. A mudança também pode ser vista no Facebook do ex-presidente Lula, que abandonou o vermelho e agora contém cores mais neutras.

Tendo ficado ‘escondida’ na maior parte do tempo no evento de hoje, a estrela do PT ganhou uma nova roupagem em nova versão do jingle da campanha de 1989, com a participação de artistas, a exemplo de Chico César. Nele, o PT promete que “a estrela não vai se apagar”. Mas se depender do que se viu na organização do ato, a história é outra.

O início do evento também teve a execução do hino nacional brasileiro, algo que não se vê com frequência em eventos petistas, apesar de não ser esse nenhum ‘pecado’. Uma grande bandeira do Brasil foi destaque no telão eletrônico no momento em que discursava o ex-presidente da República.

Participaram do evento o governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB) e o senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB). Recém-adversários locais, eles sentaram na mesma fileira para assistir ao discurso do ex-presidente. Também participou do movimento o ex-governador Ricardo Coutinho (PT).

Apesar de ter sido minimizada no palanque, onde estavam as principais lideranças petistas, além da maior delas, que é Lula, a marca principal da sigla foi vista nas bandeiras carregadas pelos militantes históricos do partido, que encheram o salão do Expo Center Norte.

Trata-se, obviamente, de uma clara estratégia do PT para fazer frente à reeleição de Jair Bolsonaro, cuja marca principal de campanha são as cores da bandeira nacional. É, ao mesmo tempo, uma tentativa de ‘repaginar’ o partido após o desgaste de escândalos como mensalão, petrolão etc. Desde 2018, um dos motes principais da campanha de Jair Bolsonaro é ‘a nossa bandeira jamais será vermelha’.  Parece que agora, até o PT concorda com a ideia.

Agenda Política

Compartilhe

Você pode gostar...

1 Response

  1. Joaquina Ferreira Neta disse:

    Eu também tenho a mesma opinião do Governador João Azevedo,ele faz e vai fazer muitas e muitas diferenças sim .Ele já é o Presidente do Brasil sim .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *