Em nota, Assembleia de Deus desautoriza pastor que declarou apoio a Lula: ‘não nos representa’

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus, em nota divulgada nesta sexta-feira (18), desautorizou o pastor Paulo Marcelo Schallenberger a falar em nome da denominação, depois que o religioso declarou apoio ao ex-presidente Lula (PT).

De acordo com o documento, emitido pelo Ministério do Belém, Paulo Marcelo “não é membro” da igreja nem pastor da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), como tem dito nas redes sociais e em entrevistas à imprensa. “O mesmo não nos representa, nem tem procuração para falar em nome de nossas instituições”, informou.

A nota é assinada pelo vice-presidente da Assembleia de Deus, pastor José Wellington Bezerra da Costa Júnior e foi compartilhada pelos principais líderes da denominação evangélica no Brasil, a exemplo do pastor Silas Malafaia, que pertence ao ministério Vitória em Cristo (ADVEC).

A reação ocorreu depois que Paulo Marcelo disse em entrevista ao ‘Globo’ que vai trabalhar num podcast gospel envolvendo o ex-presidente Lula. No início de março, ele participará das gravações, como convidado, dos primeiros episódios do produto que utilizará ‘linguagem pentecostal’.

Na Paraíba, pastores dos principais ramos evangélicos estão alinhados ao presidente Jair Bolsonaro, a exemplo de Sérgio Queiroz, da Cidade Viva, que é pré-candidato ao Senado. O presidente da Assembleia de Deus, José Carlos de Lima, também é alinhado ao atual governo.

Confira nota a seguir

 

Agenda Política

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *