‘Lula quer voltar à cena do crime’ e ‘esperança do povo brasileiro’: Alckmin muda discurso radicalmente; VÍDEO

Lula e Alckmin se encontram em jantar em SP — Foto: Ricardo Stuckert

Prestes a ser consagrado como vice do ex-presidente Lula nas eleições desse ano, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin mudou radicalmente seu discurso para se adaptar às novas circunstâncias eleitorais. Nesta quarta-feira (23), o mais novo socialista se referiu ao ex-presidente  como “aquele que melhor reflete o sentimento de esperança do povo brasileiro.”

“Quero cumprimentar o PSB pela decisão de apoiar o presidente Lula para a presidência da República. É ele. Nós temos que ter os olhos abertos para enxergar, a humildade para entender, que ele é, hoje, quem melhor interpreta o sentimento de esperança do povo brasileiro. Aliás, ele representa a própria democracia, porque ele é fruto da democracia”, declarou Alckmin.

Vídeos antigos, no entanto, mostram como Alckmin pensava o oposto sobre Lula. Em 2017, o ex-tucano fez ataques marcantes a Lula, durante convenção nacional do PSDB, ocasião em que foi oficializado como presidente do legenda. “Depois de ter quebrado o Brasil, Lula diz que quer voltar ao poder. Ou seja, meus amigos, ele quer voltar à cena do crime. Será que os petistas merecem uma nova oportunidade? Nós os derrotaremos nas urnas”, disse na ocasião.

Assista ao vídeo a seguir:

Já em um debate contra Fernando Haddad, na condição de candidato a presidente da República em 2018, Alckmin acusou o PT de fazer política na porta de penitenciária. Isso porque Lula se encontrava preso em Curitiba, após condenações por corrupção na Operação Lava-Jato. “Não é o meu partido que é comandado de dentro de um presídio. Nem minha campanha foi lançada na porta de penitenciária. Em São Paulo, bandido pega cana dura”, ironizou.

Ainda no primeiro turno daquele pleito, Alckmin rechaçou fazer qualquer aliança com o PT. “Não existe a menor chance de aliança com o PT. Vou disputar e vencer o segundo turno, para recuperar os empregos que eles destruíram saqueando o Brasil. Jamais terão meu apoio para voltar à cena do crime”, criticou.

O ex-presidente Lula não compareceu ao ato de filiação de Alckmin ao PSB, mas estiveram presentes a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, e o líder do PT na câmara, Reginaldo Lopes (MG). Nos bastidores, a previsão é que a chapa Lula-Alckmin seja oficialmente anunciada em meados de abril.

Agenda Política

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *