TRF-1 reabre investigação sobre facada contra Bolsonaro em 2018

Uma decisão da 2ª Seção do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) derrubou medidas que impediam a retomada da investigação aberta para apurar a existência de supostos mandantes do atentado à faca contra o presidente Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral de 2018.

As informações foram confirmadas, na tarde desta quarta-feira (03), pelo site O Antagonista e pela Revista Veja.

De acordo com a apuração desses veículos, na sessão de julgamento, os desembargadores do TRF-1 derrubaram uma liminar que proibia a quebra do sigilo bancário do advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior, que atuou na defesa do Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada contra o então candidato a presidente.

Segundo O Antagonista, os magistrados decidiram também que poderão ser analisadas imagens de câmeras de segurança de um hotel frequentado pelo advogado e documentos que, em tese, poderiam trazer novos elementos ao caso, como livros-caixa e comprovantes de pagamento de honorários e do telefone do advogado.

A Veja informou que Jair Bolsonaro foi avisado da decisão assim que o julgamento foi concluído. Antes, a Polícia Federal havia concluído por duas vezes que não houve mandantes do atentado e que Adélio Bispo agiu sozinho, mas o presidente e seus principais apoiadores sempre alegaram que deveria ser apurado quem pagou os honorários dos advogados do autor do crime, já que ele não teria recursos financeiros para contratar uma banca de defesa.

“Foi autorizada ampla devassa e daqui pra frente haverá continuidade da investigação do caso Adélio Bispo. Foi uma vitória muito importante”, disse o advogado Frederick Wassef, que defende o presidente Jair Bolsonaro.

Agenda Política com informações de O Antagonista e Veja

Compartilhe

Você pode gostar...

1 Response

  1. Adailton disse:

    Teremos muitas surpresas com relação à mandantes, e quem bancou advogados tão caros pra defender o verme Adélio.
    Esperamos ansiosos pelas conclusões!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *