Reitor pede que frequentadores da UFPB denunciem ação de pichadores: ‘é crime’

O reitor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), professor Valdiney Gouveia, pediu nesta quarta-feira (30), em publicação em uma rede social, que frequentadores da instituição denunciam pichações no âmbito acadêmico. “Pichar o patrimônio público é crime”, disse. As denúncias devem ocorrer, segundo ele, por meio da ouvidoria oficial da instituição.

Estudantes, servidores e frequentadores da UFPB já estão acostumados com as pichações em paredes de salas de aulas, corredores e banheiros, que se tornaram ‘parte’ da paisagem acadêmica ao longo dos anos. Mas a atual reitoria tem dito que está empenhada em inibir a ação. Na publicação que fez, o reitor mostrou  pichações com frases como “Ocupa UFPB” e “Fora Valdiney”.

As pichações ocorrem desde gestões anteriores da Reitoria, mas o atual reitor passou a ser alvo das frases estampadas nas paredes da instituição desde que foi nomeado para o cargo pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), em novembro de 2020, após a eleição da lista tríplice, em que ele recebeu votos e ficou no 3º lugar. A Constituição permite a nomeação do menos votado, mas parte dos estudantes critica a decisão presidencial.

Segundo Valdiney, a UFPB disponibilizou um canal da ouvidoria para receber as denúncias, que é o e-mail ouvidoria@reitoria.ufpb.br. “De acordo com com a Lei nº 12.408, de 25 de maio de 2011, art 6º, pichar ou por outro meio conspurcar edificação ou monumento urbano: Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa”, escreveu ele ao pedir que frequentadores denunciem as pichações.

“Se você testemunhar alguém pichando a UFPB, por favor, filmar e, anonimamente, encaminhar para a Ouvidoria”, disse. “A UFPB é nossa, é um patrimônio de todos nós! Não são admissíveis atos de destruição de nossa Universidade”, justificou o reitor.

Confira publicação a seguir

Agenda Política

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *