Publicação de Cabo Gilberto sobre ‘contra-golpe’ no STF é excluída do Twitter

A publicação do deputado estadual Cabo Gilberto (PL), em que defende um ‘contragolpe’ no Supremo Tribunal Federal (STF) por meio das forças armadas, nos moldes do que ocorreu em 1964, foi excluída do Twitter.

Ao blog Agenda Política, o parlamentar informou que a publicação foi denunciada por internautas, o que teria forçado a exclusão.

“O STF rompeu a democracia! O super poder da república está provocando o caos de forma proposital no Brasil  a história se repete, precisamos dar um contragolpe, assim como ocorreu em 1964, não temos outra escolha! Não existe mais democracia e constituição, só existe o STF!”, havia dito o parlamentar por meio do Twitter.

O comentário gerou repercussão nas redes sociais e na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). Parlamentares chegaram a mencionar a possibilidade de acionar o Conselho de Ética da Casa contra o parlamentar. Na tribuna do legislativo, no entanto, o deputado voltou a criticar o STF.

O presidente da Assembleia, Adriano Galdino, rebateu as declarações. “Essa fala de Cabo Gilberto sobre a democracia não representa a Casa de Epitácio Pessoa, nem a Mesa Diretora. Nosso bem maior enquanto cidadão é a democracia e juramos defender a democracia”, disse.

Entrevista

Ainda ontem, o deputado estadual reafirmou ao blog Agenda Política que defende o que chama de ‘contragolpe’ no Supremo Tribunal Federal (STF) por meio das forças armadas. Segundo ele, o ‘contragolpe’ seria a convocação, por parte do presidente da República, das forças armadas por meio do Artigo 142 da Constituição Federal, para ‘restabelecer a democracia’.

“A Suprema Corte rompeu a nossa Constituição, pois está legislando e executando, o que não pode. Ela só tem a missão de ser a guardiã da Constituição”, explicou.

Agenda Política 

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *