Pré-candidato ao Senado, Sérgio Queiroz finaliza série de viagens pelo sertão

O pré-candidato ao Senado pelo PRTB, Sérgio Queiroz, concluiu na tarde deste sábado (26), uma série de viagens pelo sertão da Paraíba, após visitar 10 municípios da região. O encerramento ocorreu com uma palestra na Câmara de Dirigentes Lojistas de Sousa com o tema “Formação Política e Desenvolvimento”.

O pré-candidato participou de conversas com empresários e lideranças e avaliou que a região precisa de gestores e vozes com mais capacidade técnica do que políticos de carreira para tratar de questões sobre o semiárido paraibano e nordestino. Um dos temas abordados foi o aproveitamento da transposição do Rio São Francisco.

“O que mais precisamos, agora, com a chegada das águas, no Sertão, é de menos política e de mais técnicos para resolver esses grandes problemas da Região, que tem sido adiada há tanto tempo. Nesses dias, vi e também ouvi de lideranças e dessa gente forte do sertão o quanto temos de potencialidades e de vocações para transformar economicamente essa região da Paraíba como uma área mais próspera e desenvolvida do Estado”, disse.

Potenciais e vocações

Além dos potenciais agrícolas e turísticos, Sérgio Queiroz disse que a região também tem potencial para gerar energia renovável. “Podemos construir muito mais parques de energia solar, por exemplo, pois temos incidência do sol o ano todo. Infelizmente, já perdemos a vocação do algodão, mesmo tendo o segundo melhor solo para o cultivo, e, mais recentemente, da produção do coco de Sousa, que é conhecido nacionalmente por sua qualidade. Contudo, não podemos perder a esperança de reverter tudo isso”, observou.

Sudene no Sertão

O pré-candidato também defendeu maior participação da Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste) para projetos da Região do Semiárido nordestino, incluindo os municípios do Sertão da Paraíba. “Defendo que a Sudene deve direcionar mais os seus recursos para a industrialização do semi-árido nordestino, que é a região mais carente de indústrias, mesmo tendo potenciais como, por exemplo, os segmentos da ovinocaprinocultura, o de laticínios na região de Sousa e também na produção de energias renováveis. Contudo, um dos empecilhos tem sido a falta de planejamento e de elaboração de bons projetos”, apontou.

Agenda Política com informações da assessoria

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *