A política da Paraíba é como nuvem vaporosa – por Felipe Nunes

A célebre frase de Magalhães Pinto, de que “Política é como nuvem, você olha e ela está de um jeito, olha de novo e ela já mudou”, ficou provada mais uma vez, nesta quarta-feira (15), com a decisão do deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP), ao lançar-se à reeleição para a Câmara dos Deputados, contrariando a expectativa de quem esperava a confirmação de uma pré-candidatura dele ao Senado na chapa do governador João Azevêdo (PSB).

O episódio mostra-nos que, na Paraíba, a “nuvem” que representa as conjunturas políticas locais é bem mais fluída, é feita literalmente de vapor, se transforma com uma frequência jamais vista. É feita de palavras inconsistentes, que pouco valem para o dia seguinte. Tudo depende do calor do momento, dos ganhos políticos, da velocidade do vento. Para onde a nuvem vaporosa será levada?

É bem verdade que Aguinaldo não havia batido o martelo sobre a postulação ao Senado na chapa do governador, de forma pública, mas alguns de seus aliados já não deixavam margem para dúvida em conversas com a imprensa. Tudo dependia de uma suposta unidade em torno do projeto. Era a premissa. A Paraíba acordou, hoje, com a expectativa dessa oficialização.

O prefeito Cícero Lucena (PP), por exemplo, chegou a criticar parte da imprensa, na última semana, por supostamente duvidar, ou colocar “gosto ruim” na nuvem de Aguinaldo. Disse ele: “Aguinaldo disse com todas as letras. Agora, ficam repetindo que ele não disse o sim, parece que é alguém com interesse de prejudicar a candidatura dele”, afirmou.

Na última segunda (13), o presidente nacional do PP, voltou a dizer, em contato com o blog Agenda Política que a pré-candidatura de Aguinaldo Ribeiro (PP) ao Senado teria ‘total apoio’ do partido. “Faremos o que for preciso e a candidatura dele será prioridade“, garantiu.

No início da manhã, horas antes do anúncio, não havia um aliado sequer, do deputado Aguinaldo Ribeiro, que abordado pela imprensa em ‘on’ ou em ‘off’, dissesse que ele não disputaria o Senado, mesmo com todas as dificuldades aparentes no caminho.

A frase da mãe do deputado Aguinaldo Ribeiro, em entrevista ao programa Arapuan Verdade, após a decisão do filho, traduz com precisão a transitoriedade e desconfiança que ronda a política estadual. “Isso não é normal. No domingo estava tudo certo, quando na segunda houve declarações do Republicanos… Eu não sei qual é a deles. Eu estou ficando velha, mas não sou burra”, disse.

O capítulo escrito nesta quarta-feira (15), na Paraíba, mostra que a política estadual é como nuvem. Nuvem vaporosa, que se dissipa num piscar de olhos. E que se move unicamente em direção à certeza do Poder.

Agenda Política

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *