Na PB, Queiroga faz balanço de dez meses na Saúde: ‘avanço de vacinação e queda expressiva de óbitos’

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participou, neste sábado (15), de um ato de vacinação e testagem, em João Pessoa. Na ocasião, ele fez um balanço sobre os 10 meses em que assumiu o cargo no Governo Federal, após convite do presidente Jair Bolsonaro, e lembrou que há um ano o país aplicava a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus.

“Nesse período, quando eu assumi o Ministério, a pasta tinha aplicado cerca de 12 milhões de doses, e hoje nós temos 336 milhões de doses de vacinas aplicadas em todo Brasil. Isso é fruto do esforço do Governo Federal, e nós já distribuímos mais de 400 milhões de doses. Somos o 4º país do mundo que mais distribui e aplica doses em sua população”, disse durante a ação no Hospital Universitário Lauro Wanderley.

O ministro também destacou que o país observou uma “quebra expressiva”, de cerca de 90%, no número de óbitos ocasionados por Covid-19. A queda, de acordo com ele, se deve ao fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS)  na atual gestão. “De 2008 a 2018 fecharam 40 mil leitos, e nós ampliamos os leitos de UTI de 23 mil para 43 mil leitos, através de um complemento de créditos extraordinários, que superaram R$ 100 bilhões”.

Marcelo Queiroga afirmou, também, que o Brasil passou da condição de importador a exportador de imunizantes, e que por uma determinação do presidente Jair Bolsonaro, o país vai exportar cerca de 30 milhões de doses. “Estamos alinhados com a Organização Mundial de Saúde”, observou.

Doses aplicadas

Dados do Localiza SUS mostram que das 6,1 milhões de doses aplicadas pelo estado nordestino, 3,2 milhões são de primeira dose, 2,5 milhões são de segunda dose ou dose única e 346 mil são de doses adicionais ou de reforço. “É necessário aplicar a dose de reforço para que o organismo esteja preparado para se defender no caso de variante. O governo tem feito essas ações de maneira reiterada”, pontuou Queiroga.

Vacinação de Crianças

Marcelo Queiroga defendeu, em João Pessoa, a discussão proposta pelo Governo Federal em relação à vacinação das crianças, que de acordo com ele ocorreu de maneira “própria e transparente”. Ele criticou partidos de esquerda que ingressam no Supremo Tribunal Federal (STF) contra as ações da pasta e avaliou que, do ponto de vista prático, “o Brasil vai entregar vacinas exatamente com a mesma tempestividade dos principais países do mundo”.

“Por que não podemos realizar uma audiência pública? Agora, a diferença é que todos os especialistas que estão ali podem colocar os seus conflitos de interesses, sejam eles especialistas ou não, e a indústria farmacêutica. Não há ninguém que defenda vacinas mais do que eu, mas a sociedade precisa ser esclarecida da maneira própria”, disse.

Aplicação das doses

O ato também teve como foco a testagem e a vacinação de profissionais da saúde, especialmente para os que estão na linha de frente contra a pandemia. Nas últimas 24 horas, a Paraíba apresentou 504 novos casos de Covid-19 e um óbito. “A Paraíba tem uma cobertura vacinal intermediária. O estado dispõe de vacinas e o Ministério da Saúde vai se alinhar às ações, com as secretarias estadual e municipais, para incentivar que as pessoas a buscarem as salas de vacinação”, finalizou o ministro.

Até o momento, o Ministério da Saúde distribuiu mais de 309 milhões de doses de vacina contra a covid-19 aos estados e ao Distrito Federal. Cerca de 162 milhões de brasileiros receberam a primeira dose e 135 milhões já completaram o esquema vacinal com a segunda dose ou dose única do imunizante. As adicionais e de reforço somam 16,7 milhões de doses aplicadas.

Agenda Política

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *