Incitação ao crime: perfis na internet sugerem vandalismo e ‘fogo’ contra loja da Havan em João Pessoa

O que deveria ser unanimidade – a criação de novos empregos em João Pessoa -, está causando divisão e polarização. Uma minoria de internautas paraibanos está contrariada com a inauguração de uma filial das Lojas Havan na Capital da Paraíba e, nos últimos dias, chegou a incitar vandalismo contra a empresa, em publicações nas redes sociais.

Localizada no Bairro de Água Fria, a loja tem 19 mil m² de área construída. A megaloja conta com a fachada da Casa Branca e a tradicional Estátua da Liberdade, o que teria despertado ainda mais a ira de alguns perfis na internet.

Enquanto alguns internautas apenas fazem críticas sobre a suposta incompatibilidade do monumento na paisagem da Capital, outros propuseram a depredação da loja, o vandalismo e até “fogo” contra o estabelecimento, o que é crime.

Em outras publicações, internautas “convocaram” a ação de pichadores no local.

O blog teve acesso a prints e checou a veracidade deles, principalmente no Twitter. Por questão de segurança, porém, decidimos omitir o nome das pessoas envolvidas. (LEIA AS PUBLICAÇÕES ABAIXO).

Vale destacar que a reação desses internautas contra a loja ocorre (de forma despropositada) porque o empresário Luciano Hang, dono da marca, é ligado ao espectro da “direita política” e costuma fazer duras críticas a personagens da esquerda, cujas ideias, segundo ele, atrasam o desenvolvimento econômico do país.

Em João Pessoa, a megaloja recebeu 60 mil currículos de candidatos a uma das 150 vagas geradas na empresa. Em evento de inauguração, Hang prometeu gerar mais investimentos na Paraíba e defendeu a desburocratização  do serviço público como forma de fomentar o empreendedorismo.

De acordo com a Prefeitura de João Pessoa, além dos empregos gerados, a chegada da Havan garantiu intervenções de mobilidade urbana no entorno do empreendimento através de uma parceria público-privada.

Entre as intervenções, orçadas em mais de meio milhão de reais, está a requalificação das calçadas e implantação de uma terceira faixa de rolamento no corredor formado pelas ruas Benício de Oliveira Lima e Estevão Gérson Carneiro da Cunha.

Vandalismo

Além de ser incoerente e incompatível com a democracia, os de atos de vandalismo são crimes, sejam contra o patrimônio público ou privado. De acordo com o Artigo nº 163 do Código Penal Brasileiro, o autor do delito fica sujeito à prisão e multa.

A reportagem ainda tenta apurar se as publicações compartilhadas na internet chegaram ao conhecimento das autoridades públicas do Estado, mas é importante que as forças de segurança fiquem atentas à incitação da violência e preservem a integridade da loja citada. Dessa forma, estarão, também, preservando empregos e a ordem pública.

Confira algumas publicações a seguir

 Agenda Política

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *