Valdiney defende aulas presenciais na UFPB e aponta ‘orientação política’ em manifestações

O reitor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Valdiney Gouveia, se posicionou de forma favorável nesta quinta-feira (10), ao retorno imediato das aulas presenciais na instituição, mas lembrou que a decisão não depende apenas dele. A declaração ocorreu em meio a protestos de estudantes que têm solicitado a retomada das atividades com a exigência do passaporte sanitário.

Em entrevista à Rádio Arapuan FM, ele lembrou que houve o avanço da vacinação entre os membros da universidade, com protocolos que garantem a biossegurança do ambiente acadêmico. Na avaliação do professor, a manutenção do ensino remoto tem prejudicado a qualidade do ensino e, consequentemente, do aprendizado dos estudantes.

O retorno das aulas no formato presencial, segundo ele, depende de uma decisão do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe). “É uma decisão colegiada, eu sou um dos membros do órgão e declaro meu voto favorável ao retorno”, adiantou. “Temos um prejuízo não só no aprendizado, mas também no ensino, que está sufocado e deteriorado com esse formato remoto”, acrescentou.

Motivação política

Questionado por que, mesmo se posicionando de forma favorável ao retorno das aulas presenciais, têm sofrido oposição de grupos estudantis, Valdiney afirmou que há um movimento que age, de forma proposital com orientação política, para criar ‘qualquer tipo de embate’ com a reitoria.  O professor informou que, mesmo no período em que as atividades da instituição se dão de forma remota, esteve presente na UFPB para dialogar com a comunidade acadêmica.

“Na verdade, não há conflito com os estudantes, o que existe, de forma até propositada e por questões que extrapolam os muros da Universidade, com orientações políticas diversas, é que se crie um embate com o reitor qualquer que seja a polêmica, inclusive com chavões que desqualificam e desrespeitam a figura que representa não a pessoa, mas uma instituição que é tão importante no Estado da Paraíba. Então não existe esse conflito que foi falsamente criado, o que existe é que todos nós trabalharmos na mesma direção”, disse.

Em relação ao passaporte da vacinação, Valdiney Gouveia disse que não tem poder para determinar a implementação da medida, que segundo ele cabe ao Prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP) e ao governador do Estado, João Azevêdo (Cidadania). “Nada substitui a presença do professor, o contato dos estudantes, o olho no olho, o diálogo de forma presencial e responsável”, finalizou.

Agenda Política

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *