Por motivos distintos, Anísio Maia e Gilberto Silva criticam cobertura das manifestações contra Bolsonaro

Deputados estaduais de oposição e situação criticaram, por razões distintas, a forma como a imprensa cobriu as manifestações de esquerda realizadas ontem (02) contra o presidente Jair Bolsonaro em cidades da Paraíba. Os atos ocorreram em João Pessoa, Campina Grande, Cajazeiras e em Patos e a principal pauta foi o impeachment.

Enquanto o deputado Cabo Gilberto (PSL) acusou os veículos de comunicação de ‘inflar’ as manifestações com o objetivo de prejudicar o presidente, o petista Anísio Maia (PT) disse que a mídia escondeu o tamanho dos atos para ‘manter os de cima’.

Eles utilizaram a rede social Twitter para comentar a cobertura de revistas, jornais e TV’s sobre os atos de ontem. Para Gilberto Silva, as manifestações foram esvaziadas em relação ao público presente. Ele acusou a imprensa de fazer comparações incorretas e retratar os atos com imagens que escondem o que chamou de ‘fracasso’.

“Segundo o data FOIA, foram 100 mil hoje na paulista, ou seja, 25 mil a menos que o dia 07 de setembro. Com imagem não tem o que discutir. A população não será mais manipulada”, escreveu.

Já o deputado estadual Anísio Maia (PT) disse que os atos encheram as ruas. Também no Twitter, ele disse que a mídia tentou diminuir as manifestações para prejudicar a esquerda. “É alguma novidade a grande mídia divulgar que nossas manifestações de ontem foram esvaziadas ? O trabalho dela é ajudar os de cima, não nós”, escreveu.

Militando em campos opostos da política, Anísio Maia e Gilberto Silva concordaram em um ponto, mas por motivos distintos. Quem tem razão?

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *