Ministro da Saúde britânico afirma que é preciso aprender a ‘conviver’ com o vírus da Covid-19

Sajid Javid, ministro da Saúde do Reino Unido
Imagem: Isabel Infantes / AFP

O ministro da Saúde do Reino Unido, Sajid Javid, afirmou neste sábado (1º) que novas restrições na Inglaterra só serão impostas “como último recurso”, apesar do grande aumento de casos, e considerou que é necessário aprender a “conviver com” o coronavírus. As informações são do UOL.

O Reino Unido, um dos países mais atingidos pelo vírus com mais de 148.600 mortes na pandemia, está registrando recordes de casos sucessivos, com mais de 189.000 diagnósticos em 24 horas na sexta-feira (31). As hospitalizações também estão aumentando, apesar de as autoridades insistirem que a variante ômicron parece causar formas menos graves que a delta, a cepa predominante anterior.

“O número [de pessoas] nas unidades de cuidados intensivos se mantém estável e, neste momento, não acompanha a trajetória que vimos no ano passado neste mesmo período, durante a onda alfa”, escreveu Sajid Javid em uma coluna publicada no jornal Daily Mail.

Dando ênfase ao “enorme custo sanitário, social e econômico dos confinamentos”, o ministro considerou suficiente a estratégia de vacinação aliada a um arsenal de tratamentos e testagem maciça da população.

Não obstante, admitiu que o sistema de saúde ficaria “inevitavelmente” sob pressão nas próximas semanas devido ao “forte aumento” das hospitalizações. Adiantando-se a essa possibilidade, o serviço público de saúde, conhecido pela sigla NHS, anunciou que já tinha começado a montar estruturas temporárias com centenas de leitos para se preparar para o “pior cenário”

Apoiadores veem semelhanças com discurso de Bolsonaro

No início do ano passado, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PL), foi duramente criticado depois de ter dito que é preciso aprender a ‘conviver com o vírus’. Na ocasião, em fevereiro de 2021, ele disse que nunca acreditou na política do “fica em casa e a economia a gente vê depois”. Ele apontava para a hipótese de ter que “conviver com o vírus a vida toda”.

“Bateram bastante em mim, mas agora estão cobrando todos os desempregados”, afirmou na época. “Quem mandou ficar em casa não fui eu, fechou comércio e destruiu emprego não fui eu”, enfatizou.

Posteriormente, Bolsonaro fez sucessivas falas sobre ‘ter que conviver com o vírus’. Por último, em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão, nesta sexta-feira (31), o presidente voltou a criticar a política do ‘fique em casa’.

Agenda Política com informações do UOL

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *