Compra de viagra por Defesa é ‘pertinente’ e daria para tratar 30 pacientes em 1 ano, diz Geraldo Medeiros; VÍDEO

O ex-secretário de saúde da Paraíba, o médico pneumologista Geraldo Medeiros, classificou como ‘pertinente’, nesta terça-feira (12), a compra de 35 mil unidades de “Viagra” pelo Ministério da Defesa para o tratamento de pacientes das forças armadas do país.

Em entrevista ao autor do blog, na Rádio Arapuan FM, ele confirmou que o medicamento é utilizado para o tratamento de hipertensão pulmonar arterial (HPA), uma doença grave. “O cálculo que fiz é que esse quantitativo dá para ser utilizado em 30 pacientes em um ano”, observou.

De acordo com Geraldo Medeiros, o paciente acometido pela hipertensão pulmonar arterial toma uma “quantidade grande” desse medicamento, o que justifica a compra governamental. “É pertinente o número de comprimidos que se toma diariamente. O paciente toma não só o Viagra mas também outros tipos de medicamentos indicados”, ressaltou.

“No caso desses pacientes, o remédio tem essa função de dilatar o pulmão e diminuir a pressão alta em que se encontra os vasos pulmonares”, acrescentou Medeiros.

Repercussão

O debate a ganhou a imprensa nacional depois que as Forças Armadas aprovaram a compra de mais de 35 mil unidades de Viagra para o tratamento de hipertensão pulmonar arterial (HPA).

O processo licitatório está no Portal da Transparência do Governo Federal. O deputado federal Elias Vaz (PSB) pediu explicações ao Ministério da Defesa sobre a aquisição dos comprimidos, usados em casos de disfunção erétil. O Ministério, por sua vez, reiterou a legalidade da medida.

Assista ao vídeo a seguir

Agenda Política

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *