Após ser chamado de ‘skinhead’, Moraes inclui PCO em inquérito das fake news e suspende redes do partido

O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, determinou nesta quinta-feira (02), a inclusão do Partido da Causa Operária (PCO), de extrema esquerda, no inquérito das fake news que tramita na Corte. Ele também determinou o bloqueio dos perfis do partido nas redes sociais.

A decisão de Alexandre de Moraes ocorre depois que a legenda, em publicações reiteradas, defendeu a dissolução do STF e a cassação dos mandatos dos atuais ministros. As informações foram confirmadas pelo PCO no fim da tarde de hoje.

Em publicação, ontem, o PCO disse que “é preciso adotar uma política concreta contra a ditadura do STF. Lutar pela dissolução total do tribunal e pela eleição dos juízes com mandato revogável”. A sigla também chamou Alexandre de Moraes de ‘skinhead’.

Com a decisão, ficam suspensas as contas do PCO nas redes sociais Facebook, Instagram, Telegram, Twitter, Youtube e TikTok. Moraes determinou, ainda, que a Polícia Federal intime o presidente do Partido, Rui Costa Pimenta, a depor sobre as postagens que o Partido realizou nas redes sociais em um prazo de cinco dias.

Além de criticar o STF, o PCO faz publicações contra o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e com críticas às urnas eletrônicas brasileiras. No plano nacional, o PCO faz ferrenha oposição ao presidente Jair Bolsonaro (PL), apesar de criticar excessos da Corte contra integrantes do Governo Federal. A sigla apoia a pré-candidatura de Lula (PT) para a Presidência da República.

No fim da tarde, Rui Pimenta reagiu à decisão: “Um tribunal como esse é criado para abusar do Poder. É o dono da Constituição”.

Confira a publicação a seguir

Agenda Política

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *