A graça da desgraça tem um preço – por Matheus Müller

Quem me conhece sabe que dificilmente exponho minhas opiniões sobre fatos públicos sem que me peçam para opinar. Reajo assim porque é muito difícil conseguir ter uma visão minimamente abrangente e justa diante de fatos tão complexos e distantes. Mas não consegui ficar calado diante desse caso, e resolvi escrever esse texto público em minhas redes com o objetivo de: 1) protestar; 2) conscientizar; 3) Instruir.

Se você usa minimamente as redes sociais, viu que elas estão empestadas de memes, piadas, notícias, trechos que remetem ao caso do morador de rua que teve relações sexuais com a esposa de um personal trainer. O caso chocou todo mundo, muito por causa de seu caráter atípico e inusitado. Afinal, mesmo para àqueles que nutrem fantasias “amorosas” mais incomuns, nunca pensaram em uma fantasia tão esdrúxula.

Ela surtou e cometeu aquilo sem a mínima noção da realidade? Não sei. O morador de rua abusou sexualmente dela e a moça está oprimida e envergonhada para falar qualquer coisa? Não faço ideia. Ela fez voluntariamente? Impossível concluir qualquer coisa agora…

Mas de uma coisa sei: muito mais do que os motivos reais pelos quais aquilo aconteceu, a forma como a sociedade reagiu ao caso é que deveria nos preocupar. Por vários motivos: 1) A cultura da objetificação da mulher. Escute um pouco de alguns sucessos da música brasileira atual e veja; 2) A relativização moral de casos que nunca deveriam nos arrancar uma risada sequer; 3) A exposição de uma família sem qualquer cuidado.

Isso aconteceu tanto por parte da imprensa quanto do próprio morador de rua, que, sem limites, relatou todo o ato sexual com a mulher. “Rir” de detalhes sexuais tão explícitos, tirar sarro de danos tão sérios aos envolvidos, como se a piada não precisasse de qualquer justificativa, só demonstra como a nossa cosmovisão está deturpada e afastada da ordem legal das coisas. Falta-nos bom senso.

Vale lembrar que uma família sofre com a traição, seja ela voluntaria ou não, consciente ou não, e o Brasil, não todos, mas boa parte, infelizmente, mais uma vez, tira sarro de sua própria degradação moral. O motivo de seu sorriso pode ser a desgraça de uma pessoa. A graça da desgraça tem um preço.

Publicado originalmente no Instagram.

Matheus Müller é especialista em economia e investimentos autorizado pela CVM. Tem desenvolvido também estudos e conteúdos sobre a temática de ética, cidadania e cosmovisão.

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *