Opinião: União Brasil precisa superar divergências para fazer jus ao nome de batismo

As lideranças do novo partido ‘União Brasil’ precisam demonstrar maior afinidade política se quiserem fazer jus ao nome da legenda, que nasce com a fusão do DEM e PSL e que tem por objetivo, em tese, ser uma alternativa política para 2022 e uma nova força política o Congresso.

Se no cenário nacional o partido surge com a perda de dezenas de deputados e até de ministros do Governo Federal, a exemplo de Tereza Cristina (Agricultura), e Onyx Lorenzoni (Trabalho) – embora ainda assim torne-se a maior bancada do Parlamento – nos estados as divergências ameaçam a tão sonhada unidade.

Um exemplo acontece em São Paulo, onde o ‘União’ segue dividido entre apoiar uma candidatura do vice-governador, Rodrigo Garcia  (recém-saído do DEM para o PSDB),  e a outra ala que prefere o nome do ex-governador Geraldo Alckimin.

No Rio de Janeiro, a dificuldade fica entre o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM), ligado ao pastor Silas Malafaia, e o prefeito de Belford Roxo, Wagner Carneiro, presidente do PSL local. Ao contrário das cúpulas do DEM e do PSL nacional, não existe convergências por lá.

Na Paraíba, o deputado federal Efraim Filho (DEM), pré-candidato ao Senado e integrante da Executiva Nacional da nova sigla, tem dito que não há conflitos com o deputado federal Julian Lemos (PSL), mas que a futura comissão provisória ainda será definida. Ele prega uma gestão ‘compartilhada’.

Mas o prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo (DEM), disse em entrevista na Arapuan FM, que foi convidado por Lemos para ser o vice-presidente da sigla no estado, e que o parlamentar já teria adiantado a ele que será o futuro presidente da legenda na Paraíba.

Aparentemente, trata-se de uma primeira divergência no partido, em âmbito estadual. Divergência num partido que nasce com propósito de convergir pensamentos em prol do interesse público. Indubitavelmente, o União Brasil precisa se unir para fazer jus ao nome de batismo.

Felipe Nunes

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *