‘Lucena não é caso isolado’: Carla Zambelli menciona equívocos em vacinação infantil na Paraíba; Ouça entrevista

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) disse nesta quarta-feira (19), em entrevista exclusiva ao autor do blog para a Rádio Arapuan FM, que dados do Ministério da Saúde apontam para a existência de quase 300 crianças vacinadas contra a Covid-19 com imunizantes que não estariam autorizados ao público infantil, na Paraíba.

Apesar de afirmar se favorável à vacinação infantil, ela disse que pediu a suspensão da imunização do público em todo o país para que novos erros não se repitam até que a situação seja esclarecida.

Os equívocos, segundo ela, teriam começado desde o início da vacinação, tendo continuidade na atual fase da campanha. “Não é fato isolado, isso acontece desde o início da vacinação. Em todo o país milhares de crianças foram vacinadas com doses de adultos que não estão autorizadas para o público infantil”, afirmou.

Durante a entrevista ao Arapuan Verdade, Zambelli disse ter tido acesso a um relatório que mostra a existência de 24 crianças, entre 0 e 4 anos, vacinadas com a Astrazeneca, e 11 crianças entre 5 e 11 anos com o mesmo imunizante. Ela disse ainda que há informações sobre a imunização de crianças com a Coronavac, Janssen e Pfizer. “Com a Coronavac, temos quatro crianças, entre 0 a 4 anos, e outras 17, entre 5 a 11 anos. Da Janssen só temos crianças vacinadas acima dos 12 anos, e da Pfizer, 58 crianças entre 0 e 4 anos e outras 207, entre 5 e 11 anos”, disse.

Ouça a seguir:

O documento

Após a entrevista com a parlamentar, o blog teve acesso ao documento citado pela deputada, que tem origem no Sistema Eletrônico de Informações (SEI) do Ministério da Saúde (MS) e que tem como fonte a Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS).

No documento, o Ministério da Saúde confirma que há o registro da aplicação de 14.561 doses do imunizante AstraZêneca, 20.064 doses da Coronavac e 1.74 doses do imunizante da Jansen, em menores de 18 anos, portanto, fora do Plano Nacional de Operacionalização (PNO) da vacina contra a Covid-19.

O documento também reforça uma recomendação às secretarias estaduais de saúde, emitida ainda no ano passado, alertando sobre o cumprimento integral do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO).

Com base nessas informações, a Advocacia Geral da União (AGU) informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que mais de 20 mil crianças teriam sido imunizadas de forma irregular. Por isso, o ministro Ricardo Lewandowski, determinou que os estados e o Distrito Federal se manifestem em até 48 horas sobre os equívocos apontados pela União em relação à aplicação de vacinas contra Covid-19 em crianças.

Confira a seguir:

Outro lado

Procurados pelo blog, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que os equívocos apontados pela parlamentar são frutos de erros de digitação pelas gestões municipais.

O Ministério Público Federal (MPF) na Paraíba informou que ‘desconhece qualquer informação que existem outros municípios vacinando crianças com doses de adultos’.

Agenda Política com Sistema Arapuan

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *