Ministro exonera servidor alvo da Operação Bleeder: ‘não compactuamos com nenhum ato ilícito’; Leia nota

O Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, confirmou na tarde desta quinta-feira (18), a exoneração do servidor Celso Mamede de Lima, suspeito de participar do esquema milionário de desvios de recursos públicos em obras hídricas na Paraíba.

Por meio de nota enviada ao blog e compartilhada com a imprensa, o Ministério informou que “não compactua com nenhum ato ilícito e que está colaborando com os órgãos de controle para a apuração dos fatos investigados no âmbito da operação Bleeder, conduzida pela Polícia Federal, Ministério Público Federal e Controladoria Geral da União”.

Ainda de acordo com o documento, “Tão logo tomou conhecimento dos fatos, o Ministro do Desenvolvimento Regional determinou a exoneração do servidor investigado e a instauração de procedimentos internos de apuração de responsabilidades, tanto administrativos como disciplinares”, informou.

Mais cedo, o MDR já havia dito à reportagem do programa Arapuan Verdade, da Rádio Arapuan FM, que tomaria providências contra o servidor investigado.

Participação no esquema

No ministério, o servidor concursado ocupava o cargo de assessor na coordenação-geral de Obras e Aquisições do Departamento de Estruturação Regional e Urbana da Secretaria Nacional de Mobilidade e Desenvolvimento Regional e Urbano.

Celso Mamede era responsável por fiscalizar e vistoriar as obras e, segundo o MPF, se aliou a João Feitosa, apontado como líder da organização criminosa que utilizava empresas de fachada para fraudar as licitações e pagava suborno a servidores.

Conforme levantamento feito pela CGU, as obras investigadas totalizam, aproximadamente, 79 milhões de reais, tendo sido constatados indícios de sobrepreço e superfaturamento nos montantes de 13,3 e 8,2 milhões de reais, respectivamente.

Agenda Política

Compartilhe

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *